Como fazer uma pesquisa de palavras-chave?

Hora de sentar e escrever para o seu blog. Todo o ambiente pode estar preparado para isso, mas o escritor nem sempre está. Há uma dúvida sempre presente até para quem já se acostumou com a tarefa: por onde começar? Aí vai uma dica pra desenrolar essa história: comece com uma boa pesquisa de palavras-chave! Quando a escolha é bem-feita, considerando a jornada do cliente, se torna uma excelente fonte de inspiração para conteúdos de sucesso.

E o que vem a ser um conteúdo de sucesso?

Na perspectiva dos buscadores, podemos considerar 3 fatores que interagem o tempo todo: relevância, tráfego qualificado e autoridade.

É claro que a relevância de um texto depende de toda a sua construção e argumentação. Mas primeiramente ele deve ser planejado com um direcionamento que ligue oferta e demanda, ou seja: apresente exatamente as respostas que o leitor procura, uma mágica que começa com a descoberta da exata palavra-chave digitada pelo cliente no campo de busca do Google.

Depois desse momento, cada clique recebido pela sua página dirá ao Google que a correlação foi bem-feita. E aí teremos um tráfego qualificado o suficiente para iniciar uma jornada de conversão.

Nesse sentido, cada palavra-chave tem seu papel estratégico não apenas em um único post, mas também no contexto da estratégia de conteúdo: uma boa keyword também ajuda a elevar a autoridade que o seu blog precisa para melhorar o ranqueamento de forma geral.

É como se todos os posts fossem irmãos que compartilham suas boas reputações para que o sobrenome da família — o domínio do site — seja tratado de forma diferenciada em qualquer circunstância.

Como escolher as palavras-chave corretas?

Depois de compreender a engrenagem coordenada pela pesquisa de palavras-chave, vamos avaliar os fatores que determinam a qualidade delas.

1. Volume de buscas

Quanto maior o volume de buscas de uma palavra-chave, maior o potencial de tráfego do post relacionado. Não vale a pena investir em termos com pouca procura. Felizmente, temos diversas ferramentas à disposição que dão uma boa ideia sobre o potencial de cada keyword nesse sentido.

Mas a análise deve ser ponderada: é natural que, em algumas dinâmicas B2B, as palavras-chave estratégicas tendem a um menor volume de busca, o que não é necessariamente ruim: trata-se de um contexto condizente com o tamanho do mercado. O que vai comprovar ou não o tráfego qualificado, nesse caso, é um bom fluxo de nutrição com altos índices de conversão.

2. Objetivo estratégico

Basicamente, o conteúdo de um blog precisa ter dois tipos de palavra-chave:

Long tail: são termos mais longos e de foco específico, geralmente com baixo volume de busca e maior potencial de conversão.

Head tail: são termos mais genéricos, com alto volume de busca. Eles vão orientar os chamados conteúdos estruturais de um blog, construindo contexto para diversas palavras long-tail e ajudando a consolidar a autoridade do blog.

O ideal é que haja um equilíbrio entre esses dois tipos. Um exemplo prático:

Vamos supor que você tenha um blog sobre chá de bebê. Essa será sua palavra-chave head tail. É importante que o texto seja bastante completo e superior aos das páginas que ocupam as primeiras posições nas SERPs, pois a concorrência para o termo é bastante alta. Desse post central, devem sair links para os mais diversos assuntos — esses, serão baseados em palavras long-tail.

  • lista de presentes chá de bebê
  • cardápio do chá de bebê
  • convites chá de bebê
  • lista de convidados chá de bebê

E por aí vai…

Vale lembrar que, no Inbound Marketing, é preciso considerar todo o contexto da persona. Nesse caso, as leitoras em potencial pesquisam sobre gestação, não apenas sobre chá de bebê. Essa visão abre o leque de palavras-chave possíveis. Então, dá pra ampliar o repertório e estimular um fluxo de leitura com calls to action que levem o leitor até o ponto desejado.

3. Potencial de ranqueamento

Como já disse acima, algumas “famílias” têm um sobrenome com mais autoridade que outras. Quando os sites com esse perfil dominam o ranking da palavra-chave que lhe interessa, é bom saber que a competição não vai ser fácil — e vai se complicar ainda mais no caso de palavras head-tail.

Assim, talvez seja necessário um trabalho árduo de alguns anos para se colocar em patamar de igualdade com a concorrência. Avalie cada caso e trabalhe a partir das suas expectativas de curto, médio e longo prazos.

4. Potencial de destaque

Algumas palavras-chave trazem como resultado de busca vários elementos visuais além dos textos, como vídeos do Youtube e snippets — aqueles resultados que o Google exibe em destaque no topo da SERP em um box, geralmente respondendo a uma pergunta.

Exemplo de snippet

Esses recursos sempre vão chamar mais atenção do que um texto. Então, avalie se pode produzir um conteúdo melhor que o dos melhores ou se é mais vantajoso partir para outra estratégia.

Por fim, como realizar a pesquisa de palavras-chave na prática?

É muito importante que você não pense em um post de maneira isolada, mas sim reflita sobre o papel dele em todo o contexto do blog. Isso vai facilitar a linkagem interna que, por sua vez, aumentará a autoridade do domínio.

Além disso, lembre-se que, para cada palavra-chave, deve haver apenas um post relacionado. Caso contrário, você promoverá uma competição por ranqueamento dentro do seu próprio domínio, deixando o buscador confuso e prejudicando o desempenho de ambos os conteúdos.

Nesse trabalho inicial, uma boa ideia é trabalhar com a construção de um mapa mental organizando o fluxo dos temas. Faça um brainstorming, de preferência com a ajuda de alguém que represente a sua persona, e levante o máximo de chaves possíveis para, posteriormente, encontrar a palavra-chave ideal para cada tema.

Mapa mental - artigo

Com essa visão, você já poderá partir para as pesquisas em ferramentas especialmente criadas para facilitar a nossa vida! Existem versões pagas que trazem relatórios analíticos para nos ajudar você na pesquisa de palavras-chave, mas também é possível usar versões free que não deixam nada a desejar. Confira as opções mais conhecidas:

1. Keyword Planner (Adwords)

Dentro do Google Adwords existe um recurso chamado Keyword Planner. Ele serve para orientar a configuração de anúncios, mas as referências para a busca orgânica são as mesmas.

Primeiro, vá em “Ferramentas” > “Planejamento” > “Planejador de palavras-chave”.

keyword planner

Depois, em “Encontrar palavras-chave”, comece buscando alguma palavra head-tail para ter um maior escopo de sugestões long-tail relacionadas.

encontrar palavras-chave

Teste suas ideias e priorize as que indicam maior média de pesquisas mensais. Atenção: os demais dados disponíveis no resultado dessa pesquisa, como concorrência e dados de lance, não são relevantes para o nosso objetivo. Essas informações são úteis apenas para a gestão de anúncios.

2. SEMRush

O SEMRush é uma das mais completas ferramentas de web analytics da atualidade, mas a versão gratuita vem com algumas limitações. Nela, você pode fazer apenas 10 pesquisas de palavras-chave por dia, e os resultados apontam somente as 10 primeiras sugestões. Para isso, recomendamos que você crie uma conta gratuita e utilize o recurso Keyword Magic Tool para detalhar as informações sobre as palavras-chave.

Primeiro, certifique-se de que o filtro “Brasil” esteja selecionado, evitando a interferência do perfil de outros países. Para interpretar os resultados, avalie a indicação do volume de buscas e do tópico KD (Keyword Difficult), que indica a dificuldade de ranqueamento orgânico daquela palavra-chave, por conta da concorrência. Explore a visão geral e a correspondência de frases para obter as melhores ideias.

3. Moz

O Moz é outro serviço de web analytics com uma ferramenta de pesquisa de palavras-chave, o Keyword Explorer. Além de exibir as sugestões de keywords relacionadas a uma determinada busca, também indica o grau de dificuldade e potencial daquela palavra no ranking das SERPs.

4. Google Suggest

Sabe quando você começa a digitar uma busca no Google e aparecem algumas sugestões? Esse recurso de autocompletar indica as palavras-chave que mais estão sendo usadas no momento. Logo, é uma excelente fonte de ideias, mas é bom considerar as estatísticas do Keyword Planner antes de aprová-las definitivamente.

google autosuggest

Essas são 4 ferramentas básicas que já dão informações bem preciosas para sua estratégia de Marketing de Conteúdo. Depois, é só começar a produzir os textos posicionando as palavras-chave conforme as dicas básicas de SEO on-page. Para fechar com chave de ouro, confira também outro artigo: Checklist: 15 etapas para a publicação de um post.

Ainda ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário e nós vamos atrás da resposta para você. 😉

 

Luísa Barwinski

Fundadora da MOT Digital e professora. Desenvolveu estratégias online para clientes dos mais diversos setores nos últimos 10 anos. Mestre em marketing, com ênfase no comportamento do consumidor, busca compreender como as marcas podem melhorar o relacionamento com o seu público em meios digitais.

Você também pode se interessar por

Responder