14 dicas para escrever bem para o seu público

14 Dicas para escrever bem para o seu público

Quem nunca escutou que produzir um bom conteúdo é essencial para qualquer negócio? A verdade é que todo mundo que fala isso tem toda razão e eu vou explicar o porquê.

Ter um conteúdo original e relevante fortalece a sua marca, amplia o alcance no mercado em que você atua, melhora o posicionamento do seu site nos mecanismos de busca, você recebe tráfego de forma gratuita enquanto seus materiais estiverem no ar, adquire mais leads e pode aumentar sua receita. Parece um bom negócio, não é?

Mas para tornar esse processo um verdadeiro sucesso, é preciso entender algumas questões e praticar algumas técnicas. Pode ficar tranquilo, com as dicas que vou dar para você agora, em pouco tempo você estará escrevendo com facilidade e, como você domina muitos assuntos do seu campo de atuação, não irão existir motivos para você desistir de escrever! Vamos começar?

1. Seu conteúdo precisa ser útil e relevante

Seja relevante

Que tal escapar um pouco da disputa por preço com seu concorrente? Quando você entrega um bom conteúdo para o seu público, ele entende isso como algo de valor e começa a confiar muito mais em você do que no concorrente.

Para isso acontecer, seu conteúdo deve resolver um problema, amenizar uma preocupação, gerando assim engajamento e criando uma conexão entre a sua empresa e seu possível cliente. Utilize a empatia nesse momento, se colocando no lugar dele e respondendo a seguinte pergunta: o que eu gostaria de ler nesse site e como ele pode me ajudar?

2. Conheça bem seu público

Isso é fundamental: saiba para quem você está escrevendo. Dessa forma você poderá ser muito mais assertivo e oferecer um conteúdo que realmente seja interessante (as chances de converter em um lead serão muito maiores).

Procure mapear os fatores motivadores do seu cliente e como isso pode influenciar no processo de compra. A forma mais prática de conhecer seu público é através da criação de personas. Para descobrir quem são suas personas, leia nosso Kit de Estudo de Personas. Tem tudo bem explicadinho!

E para aprender a mapear todos os fatores de influência, faça um Mapa da Empatia.

3. Escolha um tema baseado nos interesses do seu público

interesse do público

Na hora de escolher o tema, é importante fazer uma pesquisa antes para saber quais assuntos estão sendo mais procurados pela sua audiência. Isso vai dar um norte para você!

O SEMRush é uma ferramenta que permite descobrir oportunidades de conteúdo, pesquisar por palavras-chave, identificando inclusive quais sites já trazem conteúdo sobre o assunto, assim você vai saber quais são seus principais concorrentes.

Outra maneira de abrir seus horizontes durante a busca por temas é através do Google Auto Suggest. Não é bem uma ferramenta, mas é incrivelmente útil e fácil de usar. Abra uma nova aba no Google e comece a digitar uma palavra que você considera essencial para seu conteúdo. Aguarde, uma lista vai aparecer logo abaixo do campo de busca e vai dar milhares de ideias para você.

4. Seu título precisa ser atraente

escreva bons títulos

O título é tão importante quanto o restante do texto, é onde 73% das decisões de compra são tomadas, de acordo com Ted Nicholas, consultor em marketing que vendeu mais de R$6 bilhões em produtos compartilhados na internet.

Procure deixar seu título objetivo, curto e utilize palavras-chave para melhorar sua indexação no Google.

Não existe regra para a quantidade de palavras ou caracteres, mas você pode testar algo como em torno de 6 a 13 palavras. Teste vários outros formatos e veja qual dá mais certo para o seu negócio! Se quiser se aprofundar mais no assunto, tem um post aqui da MOT que dá 6 dicas para escrever títulos para artigos.

5. A introdução pode causar uma boa primeira impressão

Ela é um resumo do que o leitor vai encontrar e é por isso que precisa atrair a atenção logo de cara, senão ele dificilmente chegará ao fim do seu texto.

Uma ótima forma de atrair a atenção é fazendo perguntas. Isso cria um senso de identificação e desperta gatilhos mentais, como a curiosidade. Veja alguns exemplos:

  • Você já passou por isso?
  • Quer descobrir como resolver esse problema?
  • Como deixar uma introdução interessante?

6. Deixe seu texto “escaneável”

Deixe seu texto fácil de ler

A forma como todo mundo consome informação é muito rápida. Durante a leitura de um texto, o leitor vai passar os olhos pelas palavras e tentar identificar os pontos mais fortes para ele. Isso é “escanear” um texto! Existem algumas técnicas que funcionam muito bem para deixá-lo “escaneável”:

  • Faça listas: um exemplo é o texto que você está lendo nesse momento. Ele está em formato de lista, transmitindo a informação através de itens. Pelo título, você já sabia quantas dicas iria receber (14 dicas) e todas elas foram listadas em uma ordem lógica para tornar sua leitura mais fácil e agradável.
  • Subtítulos: eles servem de complemento para o seu título. Às vezes não dá para colocar tudo que você gostaria no título, por isso, deixe para comentar o restante da ideia no subtítulo. E sempre utilize palavras-chave aqui também!
  • Imagens: Steven Pinker, psicólogo, linguista e escritor na Universidade de Harvard, comprovou que um terço do nosso cérebro trabalha com a visão, por isso é fundamental você fazer com que o leitor visualize através de imagens o que você está escrevendo. Isso ajuda a entender melhor a ideia e a absorver o conteúdo com mais facilidade. Sempre que puder, procure colocar imagens entre os parágrafos para ilustrar, isso ajuda também a dar um respiro ao texto.

 

7. Use palavras simples ao invés de rebuscadas

Sabe aquela famosa premissa de que “menos é mais”? Pois é, ela cabe bem aqui. Quando um texto possui palavras conhecidas, o nosso cérebro identifica aquilo como um conteúdo mais confiável do que um texto com palavras difíceis e rebuscadas. Ele precisa ler a mesma informação diversas vezes para entender melhor!

Sempre faça uma revisão em cada parágrafo e procure analisar se existe alguma palavra que pode ser trocada ou até mesmo excluída, sem que a frase perca o sentido. Torne todo o processo o mais simples possível para facilitar a vida do seu leitor.

 

8. Cite fontes de pesquisa

Não preciso nem falar que copiar o texto dos outros é feio, né? Além de ser uma péssima prática, o Google consegue identificar quais sites estão duplicando conteúdo, e passa a penalizá-los por isso, diminuindo por exemplo a sua posição no ranqueamento das páginas de busca. Ele sempre vai dar preferência para o conteúdo original, então fique de olho e não dê bobeira.

Se por acaso você precisar copiar alguma informação ou algum dado de uma pesquisa, por exemplo, coloque a fonte no texto. Essa ação é muito legal por 2 motivos:

  • O leitor vai ganhar uma nova fonte de conhecimento e ela foi compartilhada por você
  • Você ganhará credibilidade por ter dado créditos a uma fonte

Tenha fontes confiáveis para buscar números de pesquisa, procure atentamente em blogs e outros sites do seu segmento quem é o autor mais comentado e vá atrás da informação para saber se ela tem algum fundamento.

Para citar a fonte, você pode colocar lá no finalzinho do seu texto o nome e o site da onde você tirou a informação ou pode colocar junto a uma frase, deixando um link para o site.

Veja esses dois exemplos de fontes citadas aqui na MOT.

Esse aqui cita a fonte dos dados da pesquisa:

14 dicas para escrever bem

E esse, cita a fonte e um link para acessar o site:

14 dicas para escrever bem

8. Utilize a mesma linguagem do seu público

Cada marca possui uma voz que demonstra sua personalidade e seu posicionamento.

Algumas são mais tradicionais e sérias, outras podem ser mais informais e animadas. Na hora de escolher seu estilo, recorra às suas personas para entender que tipo de linguagem elas esperam de você. Faça perguntas como:

  • Se a sua marca fosse uma pessoa, que tipos de comportamentos ela teria?
  • Quais os traços (positivos e negativos) que você consegue identificar que traduzem essa personalidade?
  • Como você quer que seus clientes enxerguem a sua marca?

Vale lembrar que também existe o tom de voz em um texto. Ele é algo mais individual e vai depender muito das situações e de cada canal de comunicação. Por exemplo, digamos que você vai publicar um post no Facebook:

  • Primeiro passo: identifique quem é a sua persona
  • Segundo passo: pense o que a sua persona espera ao receber esse conteúdo
  • Terceiro passo: utilize adjetivos para pensar em como pode ser seu tom de voz. Pode ser algo como útil, claro e informal.

 

9. Entenda o poder da persuasão

persuasão para escrever bem

Ser persuasivo nada mais é que ser influente. O tempo todo estamos tentando convencer alguém a fazer alguma coisa: comprar um produto, baixar um material, assistir um vídeo, e por aí vai. Isso tudo faz parte do jogo e saber escolher suas palavras pode trazer uma enorme vantagem.

A Universidade de Yale pesquisou o poder de 12 palavras que foram consideradas altamente persuasivas. Você pode utilizá-las em seus textos a qualquer momento, mas tenha cautela e bom senso sempre:

  • Você
  • Dinheiro
  • Economizar
  • Garantia
  • Descubra
  • Fácil
  • Comprovada
  • Saúde
  • Felicidade
  • Amor
  • Resultados
  • Novo

10. Tenha uma frequência de postagens

A frequência é fundamental para manter sua audiência. A Hubspot, plataforma de inbound marketing, constatou que as empresas que publicaram mais de 16 posts por mês obtiveram quase 3,5 vezes mais tráfego do que as empresas que publicaram 0 a 4 postagens mensais. (Hubspot, 2015).

As pessoas que acessam o seu site já esperam por mais conteúdos e aí você precisa disponibilizar conteúdos em um determinado período de tempo: pode ser diário, semanal, quinzenal ou mensal. Veja o quanto você consegue produzir e avalie o tempo que precisa para ter tudo pronto.

11. Revise seu texto

Eu sei que parece bem básico, mas é incrível a quantidade de textos que são publicados cheios de erro de ortografia e pontuação. Faça a diferença e revise seus textos antes de colocá-los no ar. O ideal mesmo é pedir para alguém revisar tudo para você.

Muitas vezes estamos tão viciados no nosso texto que não percebemos erros bobos e outra pessoa pode trazer um olhar de fora, pontuando alguma mudança.

12. Utilize seu texto para criar outros materiais

derivação de conteúdo

Você não precisa publicar sempre um texto novo. Utilize os textos que você já tem para desdobrar em outros materiais com formatos diferentes, como um vídeo, criar uma apresentação de slides, gravar um podcast ou transformá-los em um e-book. Isso vai fazer seu conteúdo ser multiplicado para diferentes canais e atrair a atenção de novas pessoas.

13. Nem todo conteúdo é sobre a sua empresa

Tem coisa mais chata que abrir um site, blog ou mídias sociais e se deparar com um monte de textos que só falam sobre a empresa ou marca, tentando a todo custo vender seus produtos?

Para evitar que isso aconteça, recorra mais uma vez às suas personas e entenda sobre o que elas querem ler, respeitando sua jornada de compra.

14. Entenda a jornada de compra

Quando uma pessoa quer resolver um problema e busca por uma solução, ela passa por um processo que possui várias etapas antes de decidir pela solução A ou B:

  • Conhecimento
  • Interesse
  • Avaliação
  • Decisão (compra)

Tudo que você precisa fazer é identificar em qual delas o seu cliente está e produzir um conteúdo específico para ela. Aos poucos, você vai ajudando o seu cliente a passar para as outras etapas e a venda se torna algo natural e não uma coisa que foi apenas empurrada.

No final, eles sentem que tomaram a decisão correta, ficam confortáveis e felizes com a escolha que tomaram e valorizam muito mais a sua empresa, porque identificaram que ela ajudou durante o processo, conduzindo cada passo.
Com todas essas dicas, agora ficou fácil escrever bem para o seu site ou blog. Tenha em mente que no começo você pode tropeçar um pouco e demorar para pegar o jeito, mas a prática vai fazer você escrever textos incríveis e super úteis para o seu público!

Você também pode se interessar por

2 Comentários para “14 Dicas para escrever bem para o seu público”

Responder