Como escrever títulos incríveis para o seus artigos sem parecer um charlatão

Um bom título é um dos fatores que definem o sucesso ou o fracasso do seu conteúdo. É ele o responsável por causar uma boa primeira impressão e despertar a curiosidade do seu leitor. Por isso, escolher as palavras certas é muito importante.

Encontrar um bom título para os seus artigos pode parecer um pouco difícil no começo. Porém, não é uma missão impossível. Tudo o que você precisa fazer é se concentrar na essência do seu texto e dar atenção aos pontos que você quer destacar.

Fazemos isso por uma razão muito simples: facilitar a vida do nosso leitor. Um título vencedor é aquele que consegue mostrar o propósito do seu conteúdo logo à primeira vista. Acredite, é à primeira vista mesmo!

De acordo com o National Center for Biotechnology Information, da U.S National Library of Medicine, o tempo médio de atenção de um ser humano atual é de 8 segundos. Já os peixinhos dourados dos aquários ornamentais têm, em média, 9 segundos.

Por isso, ser convincente não é mais garantia. É preciso encantar o seu leitor antes mesmo do primeiro clique. Entretanto, os click baits fizeram dos títulos um campo de batalha para promessas que nem sempre se cumprem.

Escrever um bom título é muito mais do que usar dicas de influência e algumas palavras-chave. A essa altura, imagino que você deve estar curioso para saber como se faz isso.

Você vai ver exatamente o passo a passo que eu utilizo aqui na MOT Digital para escrever os títulos dos conteúdos que você vê por aqui 😉

 

  1. O que é um bom título?
  2. Como identificar títulos vencedores?
  3. Atenção, Interesse, Desejo e Ação
  4. Passo a passo para escrever um bom título
  5. Palavras que funcionam
  6. [Templates] 26 ideias para você usar

 

Preparado? Vamos lá!

 

1. O que é um bom título?

Talvez este seja um dos assuntos mais debatidos quando falamos sobre produção de conteúdo. Há quem diga que um bom título é aquele que possui um arsenal de gatilhos mentais enfileirados. Também existe o pessoal que defende a objetividade e a clareza dos títulos, outros preferem focar nos benefícios e por aí vai.

A verdade é que todos estão certos. Porém, não existe apenas uma maneira de escrever títulos. O ideal é usar um pouco de cada uma dessas sugestões para compor aquele título que se torna irresistível, objetivo e que mostra para o leitor exatamente o que ele vai encontrar ao clicar.

De acordo com o Copyblogger só 20% das pessoas vão ler o seu conteúdo, entendemos que 80% delas vão parar justamente no título. Pensando nisso, será que o seu título está passando a mensagem que deveria? Você colocou propósito no seu título? Este é de fato o seu título vencedor?

 

2. Como identificar títulos vencedores?

Agora que você já sabe o que é um bom título, é hora de entender o que torna um título um vencedor, de fato. De acordo com Dan Shure, da MOZ, títulos vencedores possuem sete elementos em comum. Veja a seguir.

 

Curiosidade: Se o seu título não for capaz de despertar curiosidade, as pessoas não vão clicar. Crie curiosidade com fatos inesperados, conflitos ou então com perguntas.

Benefício: O leitor deve perceber que existe uma vantagem clara em ler o seu artigo. Se isso não acontecer, ele não clica. Geralmente estes títulos são do tipo “Como fazer…”, “X ideias de…”, “Conheça…” e assim por diante.

Emoção: Sem dúvida você escreveu o seu conteúdo querendo passar alguma emoção, certo? Então por que não transparecer isso no seu título? Use palavras que mostrem o que o seu leitor deveria sentir em relação ao seu conteúdo. Emoções como surpresa, admiração e medo (de fazer algo errado) são incrivelmente poderosas.

Tangibilidade: Dê pontos de referência que o seu leitor conhece. Tangibilizar significa tornar algo próximo de alguém, fazer com que esta pessoa consiga visualizar aquilo que você está falando. Um exemplo disso é a frase: “Escreva para o Homer Simpson”. Sabemos que o Homer Simpson não é o personagem mais esperto e que muitas vezes ele não entende 1% das coisas, portanto, a frase usa uma referência clara de que devemos simplificar nossos textos.

Aparência: Seu título também precisa ser esteticamente correto. Muitas vezes isso significa conseguir encaixar tudo o que você precisa em uma linha só. Não é errado usar títulos curtos, ok?

Sonoridade: Leia seu título em voz alta. Ele soa bem? Existe alguma palavra estranha? Vale lembrar que nem sempre as rimas são uma boa ideia.

Expectativa: Assim como a curiosidade, a expectativa é crucial para um título vencedor. Entretanto, quando falamos em expectativa estamos nos referindo à imagem mental que o leitor fez do seu conteúdo e o que ele imagina que irá encontrar depois do clique. Por isso, seja bastante transparente, não prometa algo que você não vai cumprir depois que a pessoa clicar.

 

3. Atenção, Interesse, Desejo e Ação

Estas quatro palavras formam uma das siglas mais difundidas do marketing: o AIDA. A primeira vez que alguém falou sobre isso foi em 1898, nos estudos de Elias St. Elmo Lewis sobre as abordagens de um bom vendedor.

Além de ser uma das principais bases para compreender como deve ser a abordagem de vendas, o AIDA também é o modelo seguido pelo inbound marketing, quando falamos sobre a jornada do consumidor e o funil de conversão.

Para aplicar o AIDA na sua estrutura de título basta seguir o roteiro abaixo:

 

Atenção: Use palavras que atraiam a atenção do seu leitor. Use o princípio da curiosidade que discutimos há pouco. Além disso, temos uma lista de palavras ao final do artigo que você pode utilizar para isso.

Interesse: Deixe claro qual é o valor que o seu conteúdo entrega. Pense no benefício que você pretende proporcionar ao seu leitor e foque nesta transformação. Este é um dos pontos-chave do seu título!

Desejo: Mostre para o seu leitor porque ele deveria clicar. Existe alguma urgência? Há algum medo que ele possui e que você ajuda a vencer? Use o interesse que você gerou e coloque uma pitada de provocação para que não reste dúvida de que o seu conteúdo vale a pena.

Ação: É aqui que você diz para o seu leitor o que ele deve fazer para ter acesso a este conteúdo. Muitas vezes isso é resolvido com um simples “clique no link para ler” na hora de enviar o seu artigo por e-mail ou quando ele for compartilhado nas redes sociais com posts e anúncios.

 

4. Passo a passo para escrever um bom título

Escrever um bom título não precisa ser algo complicado. Basta ter um processo. A seguir você irá conhecer o processo que eu utilizo aqui na MOT Digital para escrever os títulos que você vê por aí. Cada um tem a sua forma de criar. Portanto, não se preocupe se as ideias não aparecerem logo de primeira. Continue tentando e siga o passo a passo abaixo:

 

Escreva seu título primeiro

Há quem diga o contrário, mas eu prefiro começar escrevendo meu título antes de qualquer outra coisa. Isso me ajuda a dar mais fluidez ao texto conforme vou escrevendo. Neste primeiro o título funciona como um guia dos assuntos que eu pretendo abordar e me ajuda a não esquecer de nenhum ponto do “esqueleto” do artigo.

Não sou só eu quem faz isso. O Brian Clark, do CopyBlogger, também recomenda esta prática. Os títulos são as promessas que fazemos às pessoas que vão consumir aquele conteúdo. Por isso, precisamos ser objetivos e colocar as ideias da maneira mais clara possível. Sendo assim, comece com o título antes de qualquer outra coisa no seu conteúdo.

Escrever primeiro o conteúdo e depois a promessa dele é inverter esta lógica. Isso pode ser prejudicial para o seu conteúdo, uma vez que você vai precisar “adivinhar” qual foi a promessa daquela resposta que você acabou de produzir.

 

Escolha bem suas palavras

Como você está imaginando, escrever títulos é mais complicado do que escrever tweets. Por isso mesmo é importante que você saiba escolher muito bem as palavras que vai usar. Lembre-se: o seu título deve chamar atenção de maneira positiva, sem entregar o ouro ou ser apelativo demais. Além disso, o Google precisa encontrar o seu artigo. Isso significa usar boas palavras-chave no seu título.

Escolher palavras-chave eficientes não são exigências apenas do Google para que o seu artigo seja bem indexado nos resultados de busca. Existem chances de que você esteja escrevendo um artigo para uma revista ou jornal, por exemplo. Pode ser até que esteja escrevendo um título de e-mail marketing… E até onde sabemos, ainda não existe uma maneira de medir quantas pessoas estão pensando sobre esses temas nesses canais.

Ainda bem que hoje em dia existem ferramentas para medirmos o volume de busca das palavras-chave que temos a intenção de utilizar. Ferramentas como o Google Keyword Tool, KW Finder, SEMRush, MOZ, Answer The Public e Google Trends são verdadeiras bênçãos para nós, redatores.

Embora o seu artigo não esteja em um site ou blog, saber o que as pessoas andam pesquisando na internet é de extremo valor para que você conheça um pouquinho do que elas querem saber e como pode solucionar estes problemas da melhor maneira possível. É uma chance incrível de saber o que as pessoas estão pensando.

 

Escolha uma boa estratégia de títulos

 

Conductor - Tipos de Títulos

 

Existem centenas de estratégias de títulos. Não há bem um consenso – basicamente quase todo blog sobre marketing decide criar as suas próprias. Porém, podemos encontrar alguns elementos em comum entre eles, o que torna essas estratégias factíveis. Uma pesquisa realizada pelo blog da Conductor mostra que os títulos em formato de lista que mostram números têm resultados melhores.  Vamos ver algumas delas?

  • “Como fazer / criar / ter / ser…”: Há pouco tempo o próprio Google optou por dar mais valor a conteúdos deste tipo na sua última atualização de algoritmo, o Beija-Flor (Hummingbird). Artigos que ensinam como fazer alguma coisa são preciosos e objetivos porque geralmente trazem esta pergunta no título e mostram aos leitores o passo a passo até o objetivo final.
  • Listas: Criar listas mostra objetividade e mostra ao leitor que ele vai encontrar as respostas de maneira ordenada e fácil, o que é uma excelente expectativa. Ainda assim, aqui vai uma dica: evite usar números como 3, 5 ou 10, eles já estão batidos demais!
  • Perguntas: Geralmente as perguntas têm relação com hábitos que as pessoas têm ou coisas que elas gostariam de saber. Nosso cérebro dá “pulinhos” de vontade de responder quando vê um ponto de interrogação. Basta você fazer a pergunta certa para criar esse estímulo. Entretanto, mantenha alguma familiaridade na sua pergunta. Nós precisamos ter algum ponto em comum, uma referência, sobre o assunto para ficarmos curiosos sobre ele.
  • Aprenda a dizer não: usar negativas no seu título pode criar um bom efeito. Uma pesquisa feita pelo Outbrain mostra que os títulos que têm elementos negativos tendem a ser 30% melhores em termos de desempenho de taxas de cliques (CTR).
  • Empatia e Frustração: Você clicou neste artigo, certo? Então meu título funcionou 🙂 Trabalhar com emoções pode ser algo bastante interessante para criar mais conversões a partir dos seus títulos. O conselho aqui é criar algum laço com emoções de alta excitação como o assombro, alegria, divertimento, raiva e ansiedade. Criar conexões através de frustrações, dores e problemas também é interessante desde que você apresente soluções plausíveis, ok?

 

Diversifique suas estratégias de títulos

Não se engane. O seu público percebe exatamente o que você está fazendo e começa a se acostumar com as suas técnicas de redação de títulos (headline copywriting). Portanto, para que você garanta bons resultados com frequência, procure diversificar as suas estratégias de títulos.

Este é um conselho importante, já que nada mais chato do que alguém que só sabe criar listas ou então vive querendo solucionar a sua vida com artigos “Como fazer…”. É claro que isso não deve ser um fator limitador, mas procure variar o máximo possível. Assim o seu leitor vai perceber a sua flexibilidade e vai deixar de prestar atenção nesses detalhes.

Outra dica que vale a pena lembrar é o nível de especificidade do seu título. Nesta mesma pesquisa do blog da Conductor, fica claro que quanto mais específico é o seu título, melhor é o desempenho dele.

 

Conductor - Especificidade dos Títulos

 

Cuidado com o tamanho do seu título

Tome cuidado com o tamanho do título. Existem teorias que afirmam que o ideal é não passar de sete palavras. Veja bem, este artigo tem sete palavras no título, mas isso não é uma regra inquebrável. Ainda assim, outra pesquisa feita pelo pessoal do Outbrain indica que títulos em inglês entre 60 e 100 caracteres são os que têm taxas de clique (CTR) mais alta – isso significa algo em torno de 16 a 18 palavras.

A pesquisa do Outbrain também incluiu títulos em idiomas de origem latina (similares ao português), como francês, italiano e espanhol. Os resultados foram bem interessantes. Enquanto os títulos franceses e italianos se mantiveram próximos aos índices dos títulos em inglês, aqueles em espanhol demonstraram uma verdadeira “festa”.

Os títulos em espanhol que obtiveram um CTR maior tinham em média de 101 a 120 caracteres e cerca de 19 a 21 palavras. Portanto, podemos tentar extrair um meio termo entre a objetividade dos títulos em inglês com a flexibilidade do espanhol para encontrarmos algo interessante para as nossas chamadas em português enquanto este estudo não chega no nosso idioma 😉

 

Crie diferentes versões!

Você começou pelo seu título, a promessa do conteúdo que estava para produzir. Depois disso, foi para a redação do artigo ou então para a gravação do vídeo. Isso significa que você deve ter cumprido a promessa que fez lá no comecinho, certo? Pois bem, chegou a hora de revisar e ver se todos os pontos que você prometeu no título estão contemplados no texto de maneira clara e objetiva.

Casos como textos jornalísticos geralmente tendem a ser um pouco diferentes, uma vez que os meios de comunicação tradicionais não costumam usar essas estruturas. Ainda assim, se você é jornalista (assim como eu), deve saber como provocar e instigar seu leitor a continuar a leitura do texto ou visualização do vídeo.

Outra dica importante é escrever diversas ideias para o seu título. Não tenha medo de exagerar quantidade de versões. Crie um novo arquivo no seu editor de texto favorito (eu gosto de fazer isso no Google Docs ou então no Evernote) e comece a escrever as suas ideias. Assim você amadurece a proposta do seu título e consegue deixar a promessa cada vez mais clara.

Revisar não faz mal a ninguém. Portanto, confira se o seu conteúdo cumpriu a promessa do título. Nada pior do que um leitor frustrado!

Este artigo que você está lendo começou com o título “6 dicas infalíveis para escrever títulos melhores” e passou por 29 outras ideias antes de chegar a esta.

 

5. Palavras que funcionam

Quando falei sobre o AIDA, comentei sobre algumas palavras que chamam a atenção do seu leitor. Para facilitar um pouco, criei esta lista para que você possa usar como referência sempre que precisar.

 

Categoria Palavras
Atributos Grátis, Novo, Fácil, Importante, Rápido
Segurança Resultado, Garantido, Aprovado, Testado, Autêntico, Oficial
Intensidade Sensacional, Inesquecível, Incrível, Revolucionário
Urgência Agora, Desconto, Última chance, Instantâneo, Oferta, Exclusivo
Razão Por que, Como, Comparar, Descubra
Benefício Lucro, Dinheiro, Economizar, Aprender, Bônus, Extra, Completo, Crie
Socialização Segredo, A Verdade Sobre, Você sabia,
Medos Errado, Falhas, Problemas, Medo, Perda, Prejuízo

 

Estas palavras são conhecidas como power words justamente por carregarem este poder de chamar a atenção das pessoas. Combine-as com as palavras-chave relacionadas ao tema do seu conteúdo e crie algumas versões de teste do seu título. Tenho certeza de que você vai encontrar ideias muito boas.

 

6. [Templates] 26 ideias para você usar

Eu sei que a sua cabeça deve estar girando depois de tanta informação. Por isso, separei alguns modelos que você pode usar como base para criar os seus próprios títulos. Insira as palavras relacionadas ao seu assunto, cliente ou mercado nos espaços marcados por [colchetes].

 

Listas

  1. [Número] ideias para [assunto]
  2. [Número] problemas que [seu público] pode ter quando [assunto]
  3. [Número] fatores que levam a [assunto]
  4. [Número] maneiras para [assunto]
  5. [Número] coisas que podem acabar com o seu [assunto]
  6. Os [Número] melhores [assunto] para [objetivo]

 

Como…

  1. Como fazer [assunto]
  2. Como conseguir [benefício] [tempo] [garantia]
  3. Como [objetivo do leitor] pode ser um problema para [cenário]
  4. Como fazer [assunto] sem [medo do leitor]
  5. Como ser [objetivo do leitor]

 

Referências e celebridades

  1. Por que [celebridade/referência] consegue [objetivo do leitor]?
  2. [Número] lições que podemos aprender com [celebridade/referência] sobre [assunto]
  3. O que [celebridade/referência] pode nos ensinar sobre [assunto]
  4. Os segredos de [celebridade/referência] sobre [assunto]
  5. [Número] coisas que [celebridade/referência] JAMAIS faria se [assunto]

 

Perguntas

  1. Sua estratégia de [assunto] está realmente funcionando?
  2. Como atingir [resultado] em [tempo]?
  3. Você está cometendo erros na hora de [assunto]?
  4. O que [celebridade/referência] faria para [objetivo do leitor]?
  5. Você sabe o que é [assunto]?

 

Medos

  1. [Número] ameaças que podem acabar com o seu [assunto]
  2. [Número] sinais de que você precisa de ajuda com [assunto]
  3. Você faz [erro]? Como isso pode prejudicar [assunto]
  4. Como [ação] [adjetivo] para [objetivo] sem parecer [algo negativo]
  5. [Número] coisas que fazem você parecer [algo negativo]

 

 

E aí, gostou das dicas? Então compartilhe este artigo nas suas redes sociais ou então envie para um amigo 😀

Ah! Você já sabe, mas não custa lembrar… Caso tenha ficado alguma dúvida ou se você tiver alguma sugestão, é só deixar um comentário!

Até a próxima! 😉

Luísa Barwinski

Luísa Barwinski é fundadora da MOT Digital, empresa focada em cursos, palestras e projetos de consultoria em marketing digital. Desenvolveu estratégias online para clientes dos mais diversos setores nos últimos 10 anos. Mestre em marketing, com ênfase no comportamento do consumidor, busca compreender como as marcas podem melhorar o relacionamento com o seu público em meios digitais.

Este post tem 12 comentários

  1. Ótimo post, Luísa. Já vai pro meu pocket para consultas sempre que eu for escrever um novo artigo.

  2. Sempre começo pelo título também, as vezes acabo alterando ele no final, mas é uma boa. Bacana citar também que uma tag title bem elaborada e um endereço com as palavras chave dão um grande plus ao artigo.

  3. Excelente! Eu costumo escrever a partir de um titulo que geralmente salta em minha mente depois dos meus atendimentos.

  4. Estou me aventurando em escrever artigos jurídicos sem aquele “juridiquês” todo, trazendo uma linguagem mais acessível – já que hoje em dia não são apenas os advogados que ficam lendo sobre esse tipo de material, muitos cidadãos procuram na internet para tentar entender os seus próprios direitos – e, no único artigo que me aventurei a fazê-lo da minha maneira, com as minhas próprias experiências pessoais, percebi que ficou parecendo uma adolescente advogada com problema mental. Ainda assim, consegui passar a mensagem, mas o título devia ter uns 1500 caracteres. Vou melhorar, com certeza.
    Seu post é realmente esclarecedor. Muito bom. Salvo nos meus favoritos.
    Sucesso!

  5. Obrigada por compartilhar essas dicas ! Estão me ajudando muito com os meus artigos. parabéns !!

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Convide um amigo!
Preencha os campos abaixo e deixe o resto com a gente ;)
Convidar meu amigo!
Como você gostaria de convidar seus amigos?