7 ideias para gerar mais tráfego para o seu blog

Você está lançando um novo blog no mercado ou precisa alavancar acessos de uma página antiga? Existem por aí muitas fórmulas de sucesso sobre como gerar tráfego, mas eu garanto que apenas uma funciona: muito trabalho duro, da ideia à propagação do conteúdo.

Atrair consumidores potenciais envolve uma complexa inteligência de marketing digital, com planejamento, análise contínua e correções de rota sempre que necessário. Reunimos aqui 7 dicas básicas que vão fazer toda a diferença nessa missão. Confira!

1. Defina uma lista de palavras-chave

Todo conteúdo publicado no seu blog precisa ser estratégico, baseado em palavras-chave que definam o negócio e estejam alinhadas com o comportamento de busca do usuário. Identificar a keyword ideal é o primeiro passo para construir um texto com alto potencial de ranqueamento nos buscadores: a eficiência de todas as táticas posteriores depende dessa etapa.

Conforme o nicho de mercado, a pesquisa pode tomar um tempo considerável do planner — talvez, por isso, ela ainda seja tão negligenciada nas estratégias de marketing de conteúdo. Você precisa se convencer de que todo o tempo investido vale a pena!

Então, comece entendendo a jornada de compra do seu cliente e estruturando-a em seu planejamento conforme os princípios do Inbound Marketing. Selecione palavras com maior incidência de busca, conforme indicações do Planejador de Palavras-chave do Google Adwords e de outras ferramentas como o SEMRush e Google Trends.

Lembre-se que é preciso balancear o uso de palavras-chave head tail e long tail: o primeiro tipo favorece a construção de autoridade, enquanto o segundo atrai um tráfego menor porém mais qualificado, com maior potencial de conversão.

2. Produza um conteúdo melhor que o do seu concorrente

Escolhidas as palavras-chave estratégicas, chega a hora de espiar a concorrência. A regra do Google é clara: a prioridade é proporcionar ao usuário a melhor experiência possível. Ela deve satisfazer todas as necessidades de pesquisa com rapidez e assertividade.

Assim, para cada palavra-chave escolhida, prepare um texto que seja melhor e mais completo do que os conteúdos dos links que ocupam as primeiras posições nas SERPs. Pode demorar, mas o buscador identificará a superioridade da sua proposta e colocará você no páreo.

Ah, e nunca é demais lembrar: muito cuidado com o plágio! Textos duplicados são duramente penalizados pelo Google e você pode aniquilar todo o seu esforço de planejamento em um único post. Seja original e contribua com o enriquecimento da experiência produzindo conteúdos inéditos.

3. Seja fanático por SEO 

Um artigo de altíssima qualidade já seria suficiente para conquistar autoridade perante o Google, mas sempre podemos dar um empurrãozinho para que os googlebots reconheçam seu trabalho. O caminho para isso é o SEO (Search Engine Optimization), conjunto de técnicas que ajudam a melhorar o posicionamento de uma página nos mecanismos de busca.

Se engana quem pensa que basta aplicar algumas dessas técnicas em um post e o trabalho estará concluído. Para gerar tráfego cada vez mais, o trabalho de SEO deve ser sistemático, com constantes correções de rota e otimizações que operem a seu favor.

Seja fanático pelo assunto e mantenha-se atualizado: conforme os algoritmos do Google são aprimorados, os recursos de otimização também precisam ser adaptados.

4. Faça uma revisão em posts antigos

Se o seu blog já tem mais de dois anos, ou menos tempo com um ritmo de postagem frequente, é bastante válido revisar postagens antigas. Elas podem estar desatualizadas e isso fará com que caiam cada vez mais nos rankings do Google. Afinal, textos mais relevantes sobre o mesmo assunto podem estar sendo publicados todos os dias.

Alguns procedimentos básicos de otimização que vale seguir:

  • Retome a palavra-chave, faça uma busca no Google e verifique a posição do seu blog perante os concorrentes. Atualize o texto para torná-lo mais relevante e completo, conforme a dica do tópico 2. Cuidado para não o modificar completamente, pois isso pode confundir o Google, nem altere a URL sob nenhuma hipótese.
  • No Search Console, identifique as páginas mais visitadas do seu blog e as palavras-chave que levam até elas: muitas vezes, não são as mesmas keywords definidas por você inicialmente. Assim, vale repensar o título e as demais táticas de SEO a partir de keywords mais eficientes, potencializando o impacto do texto.
  • Atualize os links internos seguindo os novos conteúdos publicados no blog. Quanto mais coeso estiver o trabalho de link building, maior o reconhecimento da relevância pelo Google.
  • Altere CTAs (calls to action) de acordo com as necessidades do negócio e novos conteúdos, viabilizando o compartilhamento, a continuidade do tráfego, a conversão de leads e de vendas.

5. Identifique as melhores origens de tráfego

No Google Analytics, existe um tópico chamado “origens de tráfego”. Lá, você poderá identificar os canais de aquisição de visitantes que trazem mais retorno: Facebook, Youtube, Instagram, e-mail marketing, links patrocinados, tráfego orgânico ou outros sites.

Calculando o retorno sobre o investimento de cada canal de aquisição, você poderá saber qual tem mais potencial a ser explorado para atrair mais visitantes ao blog.

Por exemplo: vamos considerar que, em uma semana, você investiu R$50,00 em impulsionamento de publicações no Facebook e outros R$50,00 no Adwords. Supondo que o primeiro tenha atraído 10 visitantes contra 20 do segundo, isso significa que teria compensado mais distribuir a verba de maneira proporcional — o maior orçamento para o canal com maior retorno, o Adwords.

Como não temos o costume de acompanhar o impacto da performance de campanhas sobre o tráfego, muitas vezes escolhendo as mídias “a olho”, desperdiçando dinheiro e oportunidades de negócio. Fique atento!

Leia também: SEO x AdWords: Como utilizar o melhor das duas táticas?

6. Busque novas parcerias

Existem muitos sites e blogs que não são necessariamente concorrentes da sua marca, mas que precisam atingir o mesmo nicho que você. Nesses casos, o caminho é unir forças para gerar tráfego, sempre com uma proposta sólida de marketing: nada de se render ao “me linka que eu te linko”. Essa prática indiscriminada é facilmente identificada e punida pelo Google.

Então, busque parcerias estratégicas associando vários links do seu blog às páginas mais relevantes do seu segmento, produzindo guest posts, por exemplo — quando você publica um artigo no blog de um terceiro.

Vale procurar não apenas blogueiros influenciadores, mas também youtubers e instagrammers, sempre seguindo a mesma lógica. É importante ressaltar que quantidade de seguidores não é sinônimo de sucesso: o que faz diferença é a qualidade da audiência. Faça parcerias estratégicas!

7. Invista em automação e nutrição de leads

Capturar a atenção das pessoas e gerar tráfego é uma tarefa cada vez mais difícil: você deve pensar em cada novo visitante do blog como o início de um relacionamento promissor. Não basta atrair o cliente, é preciso fisgá-lo e marcar presença constantemente.

Para isso, é fundamental investir em automação de marketing, organizando a gestão e nutrição de leads com informações relevantes para que eles visitem seu espaço com frequência.

Existem diversas ferramentas que ajudam você a fazer esse trabalho. Para que funcione, é preciso ter uma visão clara da jornada do consumidor e desenhar claramente o percurso que ele deve percorrer dentro do blog até atingir seu objetivo de negócio. Um fluxo de nutrição bem estruturando garante que um lead volte diversas vezes.

Com todos esses cuidados, com certeza você conseguirá dar um up nas visitas e qualificar sua audiência para alcançar suas metas. O retorno dessas ações em tráfego orgânico não é rápido: o ranqueamento pode demorar, uma vez que o Google é extremamente criterioso e precisa de diversos feedbacks indiretos do usuário antes de determinar o resultado das buscas.

Nessa análise do buscador para gerar tráfego, tudo conta: taxa de rejeição, tempo médio de navegação, quantidade de sessões por visita, links oriundos de fontes com autoridade, entre outras análises. Mas isso é papo para outro post, já que estamos falando de algumas métricas bem importantes quando nos referimos à produção de conteúdo. Para entender melhor o significado de cada métrica, confira também o artigo KPIs e métricas: Como entender os indicadores de desempenho de marketing digital?. Boa leitura!

Luísa Barwinski

Fundadora da MOT Digital e professora. Desenvolveu estratégias online para clientes dos mais diversos setores nos últimos 10 anos. Mestre em marketing, com ênfase no comportamento do consumidor, busca compreender como as marcas podem melhorar o relacionamento com o seu público em meios digitais.

Você também pode se interessar por

Responder